Uncategorized

Migrânea vestibular: sintomas, causas e tratamentos

A migrânea vestibular é chamada também de enxaqueca vestibular. Pode acometer pessoas em qualquer idade, desde crianças até idosos, e caracteriza-se pela associação dos sintomas clássicos de enxaqueca com tontura.

Muitos acreditam que a enxaqueca é apenas uma dor de cabeça forte. No entanto, sabe-se que, na verdade, trata-se de uma doença neurológica que pode ser desencadeada pelos mais diversos fatores. 

A tontura, junto com a forte dor de cabeça, pode durar apenas alguns minutos ou mesmo dias. A sensação de que tudo ao seu redor está rodando é a mais comum, mas há casos em que a pessoa sente como se estivesse embriagada.

Saiba mais sobre esse problema, incluindo seus sintomas, causas e tratamentos:

Sintomas de migrânea vestibular

A tontura associada à dor de cabeça é o principal sintoma da migrânea vestibular, mas é possível apresentar outros, como:

  • Náuseas;
  • Sensibilidade à luz;
  • Intolerância aos movimentos;
  • Irritabilidade;
  • Cansaço;
  • Dificuldade em se concentrar.

A maior parte dos sintomas, no entanto, está presente, também, na enxaqueca comum. O que a diferencia da vestibular são os sintomas mais fortes de tontura.

Algumas pessoas têm vertigem e cefaleia de forma separada. A tontura pode ser um sinal de que a enxaqueca está para acontecer ou, ao contrário, é desencadeada depois que a dor de cabeça passa.

Causas para a enxaqueca vestibular

As causas da enxaqueca vestibular estão diretamente relacionadas com as da enxaqueca comum. Alterações no cérebro acabam produzindo a dor de cabeça prolongada e a tontura. Dentre as principais causas estão:

  • Estresse;
  • Passar muito tempo sem se alimentar;
  • Privação de sono;
  • Exposição a luzes ou sons muito fortes;
  • Ingestão de alguns alimentos e bebidas, como: café, refrigerante contendo cola, doces e chocolate, bebida alcoólica, alguns tipos de queijos e enlatados.
  • Período menstrual.

Tratamentos indicados para esse problema

O tratamento é indicado após a realização do diagnóstico. Em sua grande maioria, consiste em tratar ou prevenir as causas, de forma a evitar o aparecimento dos episódios de enxaqueca.

O médico pode indicar uma mudança na dieta, diminuindo, assim, a quantidade de determinados alimentos ou eliminá-los do seu dia a dia. Além disso, é recomendado dormir melhor e buscar formas de aliviar o estresse.

São prescritos medicamentos para as crises, para garantir que a pessoa possa continuar com suas atividades normais, sem se incomodar com a dor de cabeça e as tonturas. Medicamentos preventivos eventualmente são prescritos.

O objetivo dos tratamentos para a migrânea vestibular é melhorar a qualidade de vida de quem sofre com o problema, de forma que seja possível seguir sua rotina normalmente. O tratamento pode levar algum tempo e, muitas vezes, é difícil.

Sendo assim, a doença não se cura “magicamente” e exige paciência. O natural é que as crises reduzam com o tempo e a tontura não seja um sintoma tão frequente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

20 thoughts on “Migrânea vestibular: sintomas, causas e tratamentos

    • Author gravatar

      Dr. Amim, quais os exames que devem ser feitos para detectar se a pessoa realmente tem migrania vestibular? E qual o tratamento para evitar e cessar as crises?

      • Author gravatar

        Boa tarde Regina!

        O diagnóstico é essencialmente clínico, mas alguns exames ajudam a excluir outras causas, como exames de tontura e do ouvido.

        O médico pode indicar uma mudança na dieta, diminuindo, assim, a quantidade de determinados alimentos ou eliminá-los do seu dia a dia. Além disso, é recomendado dormir melhor e buscar formas de aliviar o estresse.
        São prescritos medicamentos para as crises, para garantir que a pessoa possa continuar com suas atividades normais, sem se incomodar com a dor de cabeça e as tonturas. Medicamentos preventivos eventualmente são prescritos.

        ATT
        Amim

    • Author gravatar

      Dr sofro dessa doença há anos porém com o meu contágio da COVID-19 há exatamente 15 dias minhas tonturas não passam ..me ajuda a viver sem esse incômodo que já afetava tanto minha vida e agora ainda mais 🙏🏻🙏🏻🙏🏻Sou de Brasília

    • Author gravatar

      Dr. Amim, bom dia! Gostaria de saber se a enxaqueca vestibular causa zumbido nos 2 ouvidos? Tenho vertigens que parecem que estou num barco, aumenta quando vou deitar ou fico parada lendo no computador. Quando estou em movimento não sinto nada. Fui ao neurologista e me passou um antidepressivo chamado desvenlafaxina e injeções de lidocaína, estou um pouco insegura com esse tratamento. Fiz exames nos ouvidos e não tenho nada. Está tudo normal e mesmo assim, a otorrina me passou Labirin para tomar. Fiquei confusa.

      • Author gravatar

        Olá Erika, boa noite!
        Dificilmente enxaqueca vestibular está associada a zumbido, mas pode ocorrer.
        Uma avaliação com exame clínico deve ser realizada com critério para estabelecer um diagnóstico preciso.
        Em relação aos exames complementares normais, teria que saber quais são, e como foram feitos.
        Se você tem uma queixa persistente, e os tratamentos não estão bem sucedidos, vale à pena procurar um otorrino que seja estudioso dessa área.
        Vale lembrar que exames de sangue e outros exames podem ser necessários para estabelecer um diagnóstico preciso.

        ATT

      • Author gravatar

        Seu otorrino não falou com vc sobre meniere? É a doença do ouvido, que causa tonturas, zumbidos e sensação de ouvidos cheios. Procure saber sobre isso. Falo por experiência própria. Felizmente encontrei um médico especialista en meniere. Boa sorte!

    • Author gravatar

      Agradeço muito o seu esclarecimento. Tenho lido muito sobre a Doença de Meniére pois os sintomas são semelhantes. Vou procurar outro otorrino aqui na minha cidade. Gratidão.

    • Author gravatar

      Olá, doutor.
      Tive episódios de dor de cabeça fortes e isoladas dias antes das tonturas começarem. Então no início de Setembro de 2020 estava no computador por volta das 09h e dei uma olhada para longe pela janela ao meu lado. Era um exercício para a visão que fazia quando estava muito tempo na frente do computador para descansar a vista.
      Bom, nesse momento eu senti uma vertigem rápida que foi aumentando. Ao meio dia não conseguia mais andar sozinho e vomitada muito. Tudo a minha volta girava feito um carrossel sem tempo para acabar.
      Socorrido para a emergência, fiquei por mais de 12 horas tomando muito soro, glicose e Plasil até que os sintomas diminuirem, mas não cederem. Fui liberado mesmo assim, com o compromisso de fazer uma tomografia do crânio.
      Ainda tonto, sem chiado no ouvido ou dor de cabeça, procurei o Otorrino, neuro e endócrino. O Otorrino associou a situação a labirintite. O neuro e o endócrino se preocuparam em descartar doenças letais como AVC, tumores e aneurisma, mas apostavam suas fichas em ansiedade ou alguma situação psicossomática.
      E o descarte das doenças mais graves se confirmou. Não só pela tomografia, mas também pela angioressonancia e todos os exames laboratoriais que fiz.
      Infelizmente para mim isso não é o fim de uma história feliz porque mesmo com labirin 24 mg de 12/12 horas, Meclin 50 mg 12/12 horas e vertizine D sendo administrados tive outra crise apenas 15 dias após a primeira. Tão forte quanto a primeira. Resultado = emergência com muito vômito e tontura. Dessa vez dramim na veia e soro foram os remédios.
      De volta ao consultório do otorrino, o vertizine foi colocado de 12/12 horas e o Labirin ficou aguardando alguns dias para retomar o seu posto. Infelizmente para mim nada resolve a tontura, mesmo depois de retomar o Labirin.
      A diferença da crise é que o mundo não gira, mas eu estou mariado (tonto, sensação de está bêbado) e com muita náuseas.
      Entra em campo então o Gastroenterologista para tratar uma possível retomada de uma velha conhecida, a gastrite. Gázia e domperidona foram os remédios, mas as náuseas não passam e a endoscopia dá normal.
      Voltei ao neuro hoje por recomendação do gastro, mas não o primeiro que era neurocirurgião, mas um neuro clínico que poderia melhor avaliar meu caso. Ele faz todas as análises clínicas possíveis durante mais de uma hora e olha todos os exames que levara: tomografia do crânio, angioressonancia, endoscopia, VHIT e os laboratoriais. Todos os exames levados normais. No exame clínico também não encontrado nada, mas eu continuo sem conseguir me alimentar e beber água direito por causa das náuseas e tonturas persistente. Sem dor de cabeça forte como antes de começar a crise. Apenas muita gastura e dores isoladas leves acompanhada de tontura e náuseas.
      Diagnóstico do neuro: micrânea vestibular.
      Tratamento indicado: Venlift® OD 37,5 mg por 7 dias, depois de 75mg + fisioterapia vestibular.
      Bom, foi com esse diagnóstico, tratamento indicado e sentindo tontura no próprio eixo (mariado) + náuseas que cheguei a esta página. Obrigado por ter lido tudo e me desculpe o texto grande, mas precisava dá todos os detalhes que vem se estendendo por quase 2 meses.

      • Author gravatar

        Olá Márcio, que saga hein?

        Migrânea vestibular é, às vezes, um diagnóstico difícil de ser feito, e o tratamento pode ser lento.
        Importante lembrar as medidas do dia a dia, alimentares, etc. Manter a medicação que lhe foi prescrita e focar na reabilitação vestibular, que deve ser feita no momento correto.

        Abs e melhoras!

    • Author gravatar

      Doutor,
      Tenho enxaqueca desde 2014. Já passei por diversos profissionais e ainda continua sem uma causa definida. Neste último sábado, acordei com uma tontura que eu nunca havia sentido e conversando com um amigo otorrino ele cogitou a hipótese de ser migranea. Uma dúvida: a migranea poderia ter se manifestado esse tempo somente com as crises de enxaquecas?

      Obrigada

    • Author gravatar

      Oi , já fui diagnosticada com migranea vestibular neste momento ela está atacada na vida já tive 3 episódio dela com muita tontura dessa vez eu sinto muito ao levantar da cama e ao virar a cabeça deitada ao longo do dia não sinto nada tbm sinto mta dor no pescoços / ombro queria saber oque pode estar acontecendo q ela só da ao levanta de manhã depois fico bem , ql melhor posição p dormi oque seria melhor

    • Author gravatar

      Gostaria de saber se o vírus da herpes genital tem ligação a isso.

    • Author gravatar

      Olá Doutor, gostaria de saber se a migrânea vestibular tem alguma relação com a otite externa ou vice-versa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Envie mensagem direto no Whatsapp