Uncategorized

Mitos e verdades sobre a faringite

A faringite nada mais é que a inflamação da faringe, uma estrutura localizada na garganta e que faz um ponto de interseção entre nariz, boca e laringe.

Como essas estruturas são muito próximas e possuem conexões entre si, existe uma certa dificuldade dos pacientes em especificar os sintomas e a sua localização.

Fora isso, há vários mitos disseminados, que podem atrapalhar no tratamento e até agravar o quadro do paciente. É mais ou menos aquela história de que “minha avó dizia”, mas não há comprovação científica.

Para ajudar o leitor, elaboramos uma lista de verdades e mitos sobre o tema, para que ele lide melhor com essas enfermidades.

Mitos e verdades

1 – Faringite, laringite e amigdalite não são a mesma coisa.

Verdade. A proximidade e a similaridade dos sintomas fazem com que tenhamos a ideia de que se trata da mesma doença. A amigdalite, por exemplo, caso se torne reincidente, pode ser solucionada com a cirurgia de retirada das amígdalas.

Quando o problema é a laringite, é preciso, dentre outras medidas, que o paciente submeta a voz a descanso, pois é nessa região do corpo que estão as cordas vocais. Já o tratamento da inflamação na faringe, geralmente é feito com sintomáticos.

É por isso que você deve procurar o médico quando sentir dor na região. Só assim será possível identificar a causa do incômodo, que pode vir acompanhado de outros sintomas, e o tratamento adequado.

2 – Há mais de um tipo de inflamação da faringe.

Verdade. A inflamação pode ser viral, etiologia que corresponde a 85% dos casos, e surge como sintoma de resfriado. Pode, também, ser bacteriana, causando febre e dificuldade de alimentação. É possível que o tratamento com antibióticos seja necessário.

Outras causas são as não infecciosas, normalmente decorrente de algum tipo de irritação por fator externo.

3 – É contagiosa.

Depende. Se a causa da faringite for por microrganismos patogênicos, pode ser transmitida através do ar, das vias respiratórias, da fala, de tosse, espirros, beijo e até pelo compartilhamento de talheres e copos. Se a causa for não infecciosa, ela não é contagiosa.

4 – Fumantes são vulneráveis.

Verdade. A fumaça, além de irritar a faringe, ainda resseca a região, criando condição propícia para a contaminação por vírus e bactérias.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Envie mensagem direto no Whatsapp