Uncategorized

Refluxo laringofaríngeo: sintomas, causas e tratamentos

O refluxo é um problema bem comum. Muitas pessoas costumam passar por certo desconforto causado após a alimentação, por conta dessa ação dentro do organismo. Isso ocorre quando um conteúdo ácido do estômago sobe pelo esôfago, causando lesões no mesmo, e pode se estender até a via aérea. Portanto, é preciso entender os sintomas, as causas e os tratamentos para o refluxo laringofaríngeo.

Antes de tudo, é preciso entender os 2 tipos de refluxos normalmente encontrados. O primeiro é o gastroesofágico, que é o mais conhecido. Neste, não existe a reclamação de efeito na via aérea. O segundo é o refluxo laringofaríngeo, quando a acidez do estômago pode seguir por todo o caminho, chegando até a garganta e os pulmões, causando ainda mais incômodo.

Os sintomas do refluxo laringofaríngeo

Em ambos os tipos de refluxo os sintomas são parecidos. Pessoas com esses quadros podem experimentar azia, desconforto, queimação e regurgitações na área do estômago. Se o caminho perseguir até a via aérea, os sintomas passam a incluir:

  • rouquidão;
  • pigarro;
  • queimação, irritação e secura na garganta;
  • tosse frequente, que pode ser pior ao dormir ou ao acordar.

Em casos mais sérios, podem surgir alguns problemas respiratórios.

As causas do refluxo laringofaríngeo

O refluxo é um problema que pode atingir pessoas de todas as idades, com causas bem semelhantes. No caso dos bebês, eles podem sentir o refluxo por conta da imaturidade dos esfíncteres do esôfago. Esse problema se resolve com o tempo e o desenvolvimento completo.

Em outras pessoas, as causas do refluxo giram em torno dos hábitos de vida que podem não ser os ideais. Por exemplo, obesidade, alimentação inadequada, estresse, uso de drogas e álcool, além de certos remédios. Existem também certas causas anatômicas para o refluxo, como a hérnia de hiato e contrações anormais na região do esôfago.

Tratamento do refluxo

O diagnóstico do refluxo é bem simples. Um otorrinolaringologista pode pedir uma sequência de exames para confirmar a suspeita, mas o quadro normalmente é bem fácil de diagnosticar. Felizmente, o tratamento clínico também costuma ser bem eficiente.

A maneira mais simples de tratar o problema é através da mudança nos hábitos alimentares, podendo ser combinado com o uso de certos medicamentos, como antiácidos, para ajudar a controlar ainda mais os sintomas.

Algumas das melhores práticas para o controle do refluxo laringofaríngeo envolvem:

  • evitar álcool e cigarro;
  • consumir pequenas refeições durante o dia, com calma e mastigando bem;
  • evitar comer 2 horas antes de deitar;
  • ter um controle do peso mais rigoroso;
  • usar roupas mais leves;
  • procurar cortar ou diminuir o consumo de: cafeína, refrigerante, chocolate, massas e alimentos gordurosos.

Essas medidas, combinadas com o remédio recomendado pelo otorrinolaringologista, devem eliminar os sintomas. Por outro lado, caso haja uma persistência ou uma situação crônica, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica, em casos selecionados.

O refluxo laringofaríngeo é um problema bem incômodo, que, se deixado de lado, pode ter consequências relativamente graves. Portanto, fique atento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar via Whatsapp