Uncategorized

Disfagia ― Sintomas e causas

Se você está sentindo dificuldade na hora de engolir os alimentos ou líquidos, se fica com a impressão de que a comida está presa na garganta, se esses sintomas são acompanhados de tosse e/ou regurgitação nasal, você provavelmente sofre de disfagia.

Mas você não é o único. Na verdade, esse trata-se de um problema que atinge um grande contingente de pessoas, principalmente os mais idosos.

Causas da disfagia

O quadro é muito comum em pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC). Como se sabe, o AVC afeta principalmente o sistema nervoso, podendo acarretar limitações ao paciente na realização de diversas tarefas, inclusive a deglutição, razão pela qual se recorre à fonoaudiologia para tentar recuperar a integridade dessas funções.

Os números são mais preocupantes com relação às pessoas que sofrem com doenças degenerativas, dentre as quais, até 80% dos indivíduos podem desenvolver esse distúrbio. Ele acomete também, de forma muito intensa, aqueles pacientes que sofrem de câncer na região do pescoço e da cabeça.

Há, portanto, 3 grupos principais de causas para esse problema.

Neurológicas

Doenças neurológicas podem alterar uma série de funções do corpo, dentre elas, a deglutição. Nesse caso, a movimentação da língua e dos músculos fica prejudicada, causando dificuldades para mastigar e engolir.

Além do AVC, estão dentre as causas neurológicas miastenia gravis, traumatismos cranianos, esclerose múltipla, tumores no sistema nervoso central, mal de parkinson e esclerose lateral amiotrófica.

Obstruções físicas do esôfago ou da faringe

Podem ser causadas por má-formação do esôfago, estreitamento decorrente de lesões, processos infecciosos, tumores no pescoço, divertículos, problemas na membrana esofágica ou, dentre outros, tratamentos com radioterapia.

Doenças do músculo esofágico

O esôfago é o canal que faz a ligação da faringe com o estômago. Quando ocorrem problemas na musculatura desse estreito canal, isso gera obstruções e distúrbios digestivos que acarretam a disfagia.

Transtornos de motilidade do esôfago e doença de chagas são algumas enfermidades que provocam esse distúrbio.

Tratamento

Há duas formas de se tratar esse distúrbio: clínica ou cirúrgica.

Como foi falado no início deste artigo, é comum que pacientes em recuperação de AVC sejam tratados por fonoaudiólogos. O objetivo é garantir que o paciente continue a fazer a deglutição sem maiores riscos e que essa função possa melhorar gradativamente.

O fonoaudiólogo acompanha tanto o tratamento conservador da disfagia, que é feito à base de medicação, quanto o cirúrgico, ao qual se recorre quando há necessidade de desobstrução das vias alimentares.

Além disso, em casos muito avançados, em que não há a menor possibilidade de uso da via oral, recorre-se à sondagem nasoenteral ou então à confecção de gastrostomia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Envie mensagem direto no Whatsapp