Uncategorized

Você sabe o que é rinite medicamentosa?

Só quem sofre com congestão nasal pode dizer o quão irritante é não poder respirar direito. O desespero é tão grande que atrapalha tudo em nosso dia a dia. Atrapalha no desenvolvimento do trabalho de casa, no escritório e, se por um acaso for necessário varrer um cômodo ou organizar algumas coisas, a poeira faz tudo piorar.

E aí ocorre um grande erro: A maioria das pessoas recorre a um descongestionante nasal por conta própria, sem saber se aquele medicamento vai ou não lhe agravar a situação. E na maioria das vezes, agrava. É aí que surge a famosa Rinite Medicamentosa.

Vamos entender primeiro por que nosso nariz entope…

A nossa mucosa nasal é formada por diversos vasos sanguíneos e reveste toda a nossa cavidade nasal. Sem ela, restariam apenas as cavidades nasais e um risco absurdo de inalarmos todo tipo de sujeira e poluição diretamente para os pulmões.

Portanto, além de melhorar a nossa aparência, o nariz cumpre uma função primordial que é a filtrar o ar que entra na respiração, aquecê-lo e umidificá-lo para que possa entrar em nossas vias áreas de forma mais adequada, a caminho dos pulmões.

Quando, por alguma razão, alergia ou sujeira, os vasos sanguíneos dilatam, eles passam a ocupar toda a passagem do ar nas narinas, o que nos provoca o desconforto da congestão nasal. É quando, desesperados, recorremos às gotinhas do remédio da cômoda, sem saber que isso pode nos viciar e nos levar a uma rinite medicamentosa.

Ou seja, uma condição que nasce do uso inadequado de medicamentos em forma de gotas para desobstruir as vias respiratórias, tais como fenilefrina, nafazolina e oximetazolina, dentre outros.

E por que a situação se grava?

Porque sem que percebamos, o uso destes remédios, aparentemente tão inofensivos, faz com que a congestão nasal retorne mais rapidamente e ainda mais intensa. A dependência do medicamento acaba por tomar conta, sem que o indivíduo sequer note. Perceba: você começa utilizando o vidrinho uma vez ou outra, ele lhe traz alívio momentâneo e depois, por conta disso, você passa a usá-lo todos os dias antes de dormir.

Um belo dia você acorda e já precisa do vidrinho novamente: o nariz está outra vez congestionado e isso em menos de 12 horas.

Sem que perceba, em poucos dias esse vidrinho de remédio já estará te acompanhando em todo lugar, seja no bolso da camisa ou na bolsa. E você o usará pelo menos a cada 4 ou 5 horas, pois quanto mais você usa, mais precisará dele.

O seu quadro já é de uma rinite medicamentosa. E a dependência não é a única consequência disso tudo. Outros agravos são: irritação e ardência no nariz; piora no congestionamento nasal, taquicardia e alteração da pressão arterial.

Sem contar que pessoas que sofrem de hipertensão arterial, problemas cardíacos, glaucoma e aumento da próstata não podem fazer uso de muitos destes medicamentos.

Portanto, se a congestão nasal persistir por mais de cinco dias, procure um especialista para uma correta avaliação. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Envie mensagem direto no Whatsapp