Uncategorized

Respirador Oral – Conheça a síndrome de quem respira pela boca

Você só consegue respirar melhor pela boca? Se a resposta é sim, é provável que você sofra da síndrome do respirador bucal.

Respirar pela boca não é o processo natural. Esta é a função do nariz, que possui a estrutura apropriada para filtrar as impurezas e umedecer o ar que chegará aos pulmões. A respiração oral é uma adaptação do organismo à obstrução do nariz. É importante corrigir o problema o mais cedo possível para evitar as complicações da respiração oral.

Consequências da respiração oral

Quando ocorre o congestionamento temporário do nariz, podemos respirar pela boca. Mas é circunstancial. É um problema que pode ser resolvido com medicação específica e o tratamento da doença que está causando o entupimento do nariz.

A gravidade está na respiração bucal crônica, que pode causar deformidades na face, má oclusão dos dentes, mordida cruzada, dificultar a fala, mastigação, abrir caminho para infecções, ronco e apneia do sono. A síndrome do respirador oral prejudica a qualidade de vida. Quem respira pela boca não dorme bem nem consegue mastigar os alimentos corretamente. Também é mais suscetível a doenças respiratórias, uma vez que a maior parte do ar que chega aos pulmões não é filtrado.

Sintomas e sinais de respiração bucal

  • Lábios afastados
  • Face alongada
  • Obstrução do nariz
  • Dor de garganta
  • Irritação na faringe
  • Tosse seca contínua
  • Dor de cabeça matinal
  • Enurese noturna
  • Mau hálito (halitose)
  • Deformações na face e dentição
  • Dificuldade para mastigar
  • Irritação e sonolência
  • Sensação de cansaço

Doenças que podem causar a respiração oral

  • Rinite alérgica: um dos sintomas dessa doença é a obstrução nasal, por isso, que sofre de rinite torna-se um respirador oral.
  • Hipertrofia da adenoide: o aumento da adenoide leva à respiração bucal, ronco e apneia.
  • Desvio do septo: mais comum em adultos, o desvio do septo nasal impede a passagem correta de ar, obrigando a pessoa a respirar pela boca.
  • Pólipos nasais: quando são grandes e/ou associados à sinusite, os pólipos nasais dificultam a respiração pelo nariz.

Tratamento da síndrome do respirador bucal

O tratamento da síndrome do respirador bucal consiste na eliminação da causa. Por exemplo, se o problema está relacionado ao desvio do septo nasal ou à hipertrofia de adenoide, o tratamento cirúrgico pode ser recomendado.

Em alguns casos, a respiração oral decorre de mau hábito. Neste caso, é necessário fazer a reeducação respiratória através de exercícios de fonoaudiologia e fisioterapia. Devido aos impactos à dentição, é fundamental consultar o dentista.

A respiração bucal, como se vê, decorre de vários fatores. O otorrinolaringologista é a pessoa indicada para avaliar as estruturas da face e possíveis problemas respiratórios. Para cada diagnóstico, há uma forma de tratamento dessa síndrome. O mais importante é não adiar a consulta médica. Pais devem observar esse problema ao longo do desenvolvimento da criança e conservar com o pediatra a respeito disso.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como otorrinolaringologista em Governador Valadares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir Chat
Envie mensagem direto no Whatsapp